terça-feira, maio 31, 2005

A teologia diz algo a respeito do ser humano

A teologia tem algo a dizer sobre o ser humano
Cap. I

· É importante reconhecer as experiências religiosas não cristãs, pois elas trazem à tona dimensões de verdade a respeito do ser humano, por isso, é necessário manter um clima de diálogo com a experiência humana não religiosa.
· A antropologia teológica, só pode tornar-se fonte do conhecimento se as pessoas estiverem dispostas a se envolverem em autênticas experiências religiosas.
· A maior fonte dos conhecimentos a respeito a respeito do ser humano estaria no conjunto dos testemunhos que não só a Escritura fornece, mas, sobretudo as da tradição.
· A mensagem bíblica constitui um valor universal porque capta aquilo que é profundo e autêntico do ser humano.
· A salvação acontece pela mediação da libertação humana expressa através dos mais diferentes gêneros literários.
· Quem vivencia capta dimensões diferentes, desta forma, somente uma autêntica experiência de Deus assegura credibilidade ao fazer teologia e ao anúncio da palavra.
· O princípio da vida é valor de referência e tudo que promove a vida eleva e dignifica a vida e por isso, é revelação.


Cap. II

· A identidade é uma maneira de conhecer o ser humano, pois determina os valores éticos de seu projeto de vida e a extensão e a profundidade de suas responsabilidades.
· O relato do gênesis emerge a identidade do ser humano no interior de uma verdadeira experiência religiosa, sobretudo quando faz o uso dos conceitos de imagem e semelhança. O texto destaca o ato criador, mas assinala a responsabilidade humana.
· A racionalidade é elemento decisivo na percepção do sentido da realidade e na organização das forças, pois se deixadas à espontaneidade, levariam fatalmente ao caos.
· A argumentação para mostrar a existência de um princípio absoluto, tem que reconhecer que isso é pouco quando se está diante da imagem de Deus, tal como é testemunhada pelas Escrituras Sagradas
· A existência humana seria impensável se estivesse mergulhada num vasto mar de relatividade, pois o relativo quando imaginado como situação permanente, costuma ser fonte frequente de angústia.
· As crises por que passamos, nos estimulam a mudar, e os caminhos espinhos por onde passamos podem fornecer surpresas desagradáveis que são ofertas de grandes morais impensadas.
· O Deus que resulta das elaborações humanas na verdade é um ídolo, pois é feito a imagem e semelhança do próprio ser humano, neste caso, a verdadeira vida de Fé exige atitude de abertura e de acolhida de encontros surpreendentes.